Menu


Campanha Pro Otávio

Causa criada por Ronaldo Nogueira

  • R$252
    Ajudados de R$27.600
  • 4
    Doações
  • 0
    Seg restantes
0 %
O objetivo dessa causa foi atingido parcialmente.
Causa criada por Ronaldo Nogueira
1 causas, 0 contribuições
Campanha Pro Otávio

Otávio necessitará fazer um exame cujo nome é DNA Mitocondrial, este exame estudará a MITOCONDRIOPATIA referente a Doença de MERRF entre outros o custo deste exame é de R$ 3.600,00, e um segundo exame no valor de R$ 12.000,00, e além disto terá que usar uma cadeira específica que custa de R$ 9.500,00 à R$ 12.000,00, esta é a motivação da campanha, por isso gostaríamos de contar com sua ajuda.

PRECISAMOS LEVANTAR A QUANTIA DE R$ 27.600,00 (Vinte e Sete Mil e Seiscentos Reais), e gostaríamos de contar com os amigos(as).

Conheça minha história.

Nasci no dia 19/02/2009, tive uma gestação perfeita, tive o privilégio de ser o Primeiro Neto, o Primeiro Sobrinho, o Primeiro Bisneto e Bisa neto.
Ao meu redor sempre tive muitas pessoas que sempre me amou, apesar de meu papai ter que viajar toda semana pra trabalhar ele sempre tentou estar presente de alguma forma, meus avós sempre do meu lado (moramos pertinho), e com isso fui crescendo.

Até que um dia quando eu tinha 8 meses de idade, em um domingo a noite enquanto mamãe me dava papa e a tia Rô achava graça de tudo eu comecei a ter alguns tremores, e dentro de poucos minutos aumentou muito e papai e mamãe me levaram as pressas no médico, fui diagnosticado com uma crise convulsiva, tomei medicamento na veia, fiquei maior tempão no hospital, adormeci e só acordei no outro dia.

Ao acordar vi Papai e Mamãe fazendo de tudo pra conseguir uma consulta pra mim em um neuropediatra, depois tentar várias vezes conseguiram pro dia seguinte.
Mas mamãe percebeu algo estranho em mim, meu olhinho esquerdo estava um pouco torto e foi depois dos tremores do dia anterior, mas mamãe não quis muito falar disso pra ninguém.

Papai no desespero e na preocupação só queria ficar perto de mim, ele naquela semana não iria trabalhar fora para se dedicar a mim.

No outro dia viajei pra São José do Rio Preto, onde passei por medico e fiz alguns exames, comecei tomar um remedinho também meio amargo, chamava-se Fenobarbital, ou pra todos Gadernal.

Papai e Mamãe percebeu que eu estava engasgando com muita facilidade, qualquer liquido que fosse um pouco com excesso eu engasgava, por diversas vezes dei susto na mamãe com isso.

Depois de alguns dias fui pra casa do tio Marco e da tia Cida com meus pais, eles estavam com saudade de mim, só que ao chegar lá depois de pouco tempo comecei a tremer novamente, me dava alguns espasmos, e sempre começava pelo lado direito do meu corpo até predominar no corpo todo, Papai ligou desesperado para o médico e ele pediu pra papai me levar a um médico mais perto e pedir um outro medicamento que colocavam debaixo de minha língua, ai eu ficava com sono, dormia, e quando acordava não estava mais tremendo.

Os tremores foram ficando constantes em mim, e sempre que eu começa a tremer mamãe, vó Creo e vô Feli não desgrudava de mim, tentavam me acalmar para eu dormir e para o tremor sumir, em algumas vezes dava certo, em outras vezes não, por fim papai e mamãe me levaram em outro médico na cidade de Araçatuba, onde me receitou outro medicamento Depacote.

Por um tempo foi bom o uso do medicamento mas por fim não estava resolvendo muito, e novamente papai e mamãe ficaram no desespero por mim.
Papai que ainda trabalhava fora conseguiu um consulta no HC de Ribeirão Preto, lá foi eu fazer uma viagem com eles, passei por uma médica que pediu muitos exames.

Nesse período meus tremores vinham sem dia e sem hora, variava entre minutos, horas e dias, muitas crises tremulas onde na maioria das vezes pra eu ter que papar tinham que segura minha cabeça pois o tremor era muito intenso e eu não conseguia ficar sentadinho.

Com o passar do tempo os tratamento em Ribeirão Preto foram evoluindo, eu fazia vários exames, eletro, ressonância, tomografia, e também toda vez tiravam sangue de mim com aquela agulha gigante.

Nisso se passaram meses, anos, o HC de Ribeirão Preto mandou exame meu até pra fora do Brasil, mas todos retornaram sem problema algum, por um lado papai e mamãe ficavam felizes, mas precisavam saber o que eu tinha, tive acompanhamento do HC de São Paulo, e de vários outros médicos da região de minha cidade, pois quando as crises vinham papai e mamãe sai correndo comigo pra algum médico.

O tempo foi passando ganhei uma irmãzinha, e com o passar do tempo vi ela fazer muitas coisas que eu não conseguia fazer, eu estava com 3 aninho e não andava, não falava muita coisa, tinha o corpinho molinho, mesmo fazendo fisioterapia sempre, eu me via muito distante de minha irmãzinha, mas jamais desistia.

Depois de anos papai e mamãe correndo pra todo lado comigo conseguiram uma consulta em São Paulo, e fui pró-diagnosticado com uma síndrome chamada Doença de MERRF, onde é uma crise epilética que vem acompanhada de espasmos musculares, que nessa doença de MERRF as raias vermelhas dos meus músculos estão fracas ou não evoluindo, e estava explicado o que tanto meus pais precisavam saber, ai estava explicado o porquê do meu não equilíbrio, o porquê de minha não evolução no falar, no andar, etc...

Tenho que fazer um Exame agora que chama DNA Mitocondrial que é caro, e que depois do resultado dele o médico disse para papai e pra mamãe que eu precisarei fazer outro exame que é muito caro, tem que me internar e fazer uma cirurgia pra retira um pedaço do meu musculo para estudarem, deve doer isso viu.

Com o pró-diagnóstico em mãos e mais de 95% de certeza de eu estar com essa tal de MERRF o médico disse para papai e pra mamãe que não poderá fazer muito pro meu desenvolvimento motor, disse pra eu continuar com as seções de fisioterapia, fonodiologia, e terapia ocupacional, o médico indicou uma cadeira de rodas pra mim, que se chama Kimba Neo, que se parece com um carrinho de bebe mesmo, mas tem extensores, alargadores e regulagens, é um carrinho que é possível aguentar até uma criança com 10 anos de idade e até 45 kilos, também indicou o uso de um andador especial.

Por isso papai e mamãe teve a ideia de criar essa site e pedir doações para me darem uma condição de vida melhor, como tudo é muito caro, e mesmo papai que continua trabalhando fora não temos o todo esse dinheiro.

Muito Obrigado e pode ter certeza que ficarei bom e logo em breve eu estarei correndo por ai e lembrarei de você!


Tavinho.