Menu


Cirurgia Urgente

Causa criada por Marisa Ferreira Abate

  • R$652
    Ajudados de R$60.000
  • 7
    Doações
  • 0
    Seg restantes
1 %
O objetivo dessa causa foi atingido parcialmente.
Causa criada por Marisa Ferreira Abate
2 causas, 0 contribuições
Cirurgia Urgente

Há um ano atras passei por uma cirurgia no hospital Luzia de Pinho Melo para remoção de um granuloma infeccioso de parede de abdômen, mas por vários erros médicos tive septicemia e já estou há um ano lutando pra ficar viva e o hospital se recusa a me atender dizendo que não tenho nada, ou que meu caso não é urgente e outros hospitais e médicos da rede publica dizem que ninguém vai botar a mão no erro de outro médico.

Já no primeiro dia de pós operatório a enfermeira quebrou meu dreno, tive reação alérgica ao antibiótico e ao invés de trocar tiraram os antibióticos, meus pontos já infeccionaram dentro do hospital e mesmo assim tive alta apenas com receita de dipirona, que sou alérgica.

A infecção espalhou acabei tendo septicemia e por várias vezes tentei atendimento no hospital que dizia que eu não tinha nada, mesmo o medico sentindo o abcesso enorme que havia no meu abdômen e estando com 38,5 de febre, me mandou embora sem nem sequer remédio pra dor.

Paguei uma ultrassonografia particular para poder provar que tinha algo errado e tentar ser atendida, já não dormia e mal conseguia andar com o abdômen super inchado e a dor imensa da infecção. O exame mostrou varias bolsas de puz dentro do abdômen e como eu estava correndo o risco de ir a óbito o médico que fez o exame se ofereceu pra me atender (pagando a consulta), me receitou 20 ampolas de Rocefim (2 por dia) e uma bezentacil a cada 10 dias por 3 meses (que acabou virando um ano) e abriu alguns dos pontos para poder vazar o puz, no segundo dia de medicação o abcesso rompeu e vazou uma quantidade imensa de puz, que foi diminuindo com o passar dos dias e quase cicatrizou ao termino do  antibiótico, mas uma ou duas semanas depois de parar com os antibióticos a febre voltava e a dor e acabava tendo que voltar a tomar antibióticos que o medico foi revezando com Amoxilina, Ciprofloxacino, Bactrin, Despacilina, Metronidazol... e tomando tramadol para a dor, no começo era um por dia mas após  um ano já quase não fazia efeito.

Depois de um ano com uma crise de pedras nos rins e com o umbigo aberto e vazando puz fui internada por 5 dias tomando Rocefim, Metronidazol e tramadol duas vezes ao dia. Fizeram um ultrassom que mostrou a infecção nos pontos internos e uma bolsa de puz que disseram não ser nada relevante e me deram alta sem antibióticos, tive que voltar no medico particular depois de duas semanas pois a febre havia voltado, mas dessa vez ele só me deu um papel me encaminhando para colocação de um dreno cirúrgico e disse que não podia fazer mais nada que eu precisava de um cirurgião, tentei posto de saúde e todos os outros hospitais, mas todos os médicos diziam que não podiam fazer nada que nenhum médico ia por a mão no erro de outro médico.

Acabei voltando ao Luzia, mas dessa vez dei sorte de pegar uma medica que ao menos pediu uma ultrassonografia e o exame mostrou que a infecção atingiu o músculo e estava abrindo buraco correndo o risco de atingir os órgãos internos, mas quando passei com o cirurgião com o resultado do exame o mesmo disse que provavelmente a linha que usaram nos pontos internos da minha cirurgia que devia estar causando a infecção e que precisava de uma nova cirurgia para remoção desse material limpeza e novos pontos, mas que ele não faria essa cirurgia, que eu tinha que fazer pelo ambulatório com o médico que me operou e me deu um encaminhamento para o ambulatório.

Mas o hospital se negou a agendar então protocolei uma reclamação na administração do hospital e uma semana depois consegui a consulta.

Nesta consulta o medico disse que o problema não tinha nada a ver com a cirurgia que eu havia feito, pediu exames de inflamação intestinal e intolerância a lactose e disse que se esses exames voltassem negativos em 30 dias ele me operava. Se recusou a me receitar antibióticos e aumentou meus remédios pra dor pra 4 tramadol dia e receitou dividol para intercalar com o tramadol, e disse que o puz e a infecção eram insignificantes (se fossem eu não estaria tomando analgésicos em doses similares a pacientes de câncer).

O hospital não agendou os exames e nem meu retorno, e quando liguei tentando que me transferissem para ser atendida em outro hospital ou que agendassem meu retorno, fui informada que o medico sofreu um acidente e que como ele não informou urgência na minha ficha eu não seria mais atendida pelo hospital e me mandaram procurar a secretaria da saúde para me encaminharem para outro médico.

Quando não consta como urgência a cirurgia pode levar 5 ou 6 anos pra sair se eles mantiverem na lista de espera, mas eu não tenho esse tempo, a cada dia a infecção está  pior e minha unica alternativa agora é uma cirurgia paga. Mas já estou há um ano sem trabalhar e vendi tudo que eu tinha para pagar consultas exames e remédios.

Já estou com anemia, meus dentes quebrando por deficiência de cálcio causada pelos antibióticos, quebrei 3 dedos, não durmo sem medicação por causa da dor, estou com pedras nos dois rins e na vesícula e preciso da cirurgia com urgência. Caso a infecção se espalhe pros órgãos internos a chance é minima de eu sobreviver. Já busquei ajuda de todas as formas e esta é minha ultima alternativa.

Esse dinheiro é para as consultas, exames, cirurgia e medicamentos.